Warning: Use of undefined constant REQUEST_URI - assumed 'REQUEST_URI' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /customers/d/e/3/amarimefalou.com.br/httpd.www/wp-content/themes/astra/functions.php on line 73 LEITES VEGETAIS | A Mari me Falou

LEITES VEGETAIS

[av_fullscreen size=’extra_large’ image_attachment=’fixed’ animation=’slide’ conditional_play=” autoplay=’false’ interval=’5′ control_layout=’av-control-default’ scroll_down=’aviaTBscroll_down’ av_uid=’av-jjhzogfy’]
[av_fullscreen_slide slide_type=’image’ id=’4566′ position=’center center’ video=’http://’ mobile_image=” fallback_link=’http://’ video_cover=” title=’CONCEITO’ custom_title_size=” custom_content_size=” caption_pos=’caption_bottom caption_bottom_framed caption_framed’ link_apply=” link=’lightbox’ link_target=” button_label=’Click me’ button_color=’light’ link1=’manually,http://’ link_target1=” button_label2=’Click me’ button_color2=’light’ link2=’manually,http://’ link_target2=” font_color=” custom_title=” custom_content=” overlay_opacity=’0.5′ overlay_color=” overlay_pattern=” overlay_custom_pattern=” av-medium-font-size-title=” av-small-font-size-title=” av-mini-font-size-title=” av-medium-font-size=” av-small-font-size=” av-mini-font-size=”][/av_fullscreen_slide]

[/av_fullscreen]

[av_textblock size=” font_color=” color=” av-medium-font-size=” av-small-font-size=” av-mini-font-size=” av_uid=’av-gdv2tb’ admin_preview_bg=”]
Olá amiguinhos, quero dividir com vocês essas receitinhas que colaboram muito para a não exploração animal, minha vida, saúde e receitas culinárias. O leite de vaca era um elemento muito presente no meu dia a dia, nas recitas e tal. Parecia impossível bolo, mingau e café da manhã e da tarde sem ele, fora os derivados, queijo, leite condensado, creme de leite, doce de leite! Como viveria sem??? Principalmente porque tenho sensibilidade intestinal, alergias respiratórias e intolerâncias alimentares, que o leite só piora.  Até o dia que minha VegIrmã apareceu com a história de leite de amendoim e queijo de batata, aí tudo mudou!!!!

O leite vegetal além de serem adequados para vegetarianos e intolerantes, serve como substitutos em receitas como bolos, pães, cremes, tortas, não possuem gorduras saturadas, portanto não aumentam o colesterol ruim, são fontes de minerais como o potássio e vitaminas do complexo B, dependendo do vegetal utilizado para o preparo são ótimas fontes de fibra e podem complementar a sua dieta.

Seguem aí receitas práticas, gostosas e econômicas para vegetarianos, vegetarianos estritos (veganos), alérgicos, intolerantes, curiosos e interessados em uma vida saudável e equilibrada.

LEITE DE BANANA: 1 banana, 1 copo de água. E é só bater no liquidificador. Consumir na hora. Opcional: Açúcar demerara ou mascavo. Sugestões: Canela, aveia e guaraná em pó.

LEITE DE AVEIA: Não precisa ser deixada de molho, o leite não é cozido e o preparo é finalizado em poucos minutos. Para cada 1 xícaras de aveia em pó ou em flocos utilize 2 xícaras de água. Bata no liquidificador e coe. Opcional: Açúcar demerara. O leite dura aproximadamente 3 dias na geladeira. Você pode aquecer para utilizar como mingau ou como creme de leite.

LEITE DE COCO: Retire a polpa do coco seco, parta em pedaços e coloque no liquidificador com aproximadamente 700 ml de água morna, bata por aproximadamente 3 minutos e coe. O leite dura aproximadamente 3 dias na geladeira ou pode guardá-lo em potes de vidro ou forminhas de gelo e congelá-lo. Isso fará com que ele dure até 2 meses.  A polpa de coco que restou na peneira pode ser aproveitada, você pode fazer uma saborosa farinha de coco, biscoitos ou até mesmo um irresistível coco ralado, basta levá-lo ao forno ou frigideira e mexer constantemente para evitar que queime. O ponto ideal é quando ele estiver sequinho e soltinho.

LEITE DE SOJA: Deixar 1 xícara de soja de molho durante 12 horas, bater no liquidificador com 3 xícaras de água, coar e cozinhar o líquido até a espuma sumir. Com o resíduo do leite, chamado okara, é possível fazer bolos, bolachas e até mesmo adicionar ao suco verde.

LEITE DE AMÊNDOAS: além de ser consumido puro, o leite de amêndoas é ideal para ser utilizado em receitas, já que seu sabor é um dos mais neutros dentre os leites vegetais. Para fazê-lo basta deixar as amêndoas de molho por pelo menos 12 horas, bater no liquidificador utilizando 4 xícaras de água para cada xícara de amêndoas. Se desejar, adicione essência de baunilha.

LEITE DE AMENDOIM: Tem sabor similar ao leite de amêndoas, com a vantagem de ser mais econômico. Existem diversas formas de obter esse leite. Ele pode ser apenas deixado de molho, batido e coado, ou o leite pode ser cozido. Outra opção também é torrar o amendoim antes de deixá-lo de molho. O resíduo do leite é ideal para o preparo de doces como bolos, bolachas e cookies.

Leite de gergelim: É ótimo para diminuir o colesterol ruim e seu leite apresenta mais cálcio que o leite de vaca. Você pode utilizar o gergelim preto ou bege. Deixe-o de molho de 8 à 12 horas, bata no liquidificador com 3 ou 4 xícaras de água e coe. Com o resíduo do leite é possível fazer uma ricota de gergelim.

Leite de linhaça: a linhaça tem a função adstringente, é uma ótima aliada na perda de gordura. O uso dessa semente também está associado ao tratamento de problemas na pele como ressecamento, psoríase, acnes e alergias. Para fazer o leite de linhaça deixe as sementes hidratando em água durante 8 horas. Depois, bata bem no liquidificador a linhaça com água, utilizando 1 copo de água para cada 2 colheres de linhaça. Finalize coando. Você pode substituir a água por água de coco ou chá de sua preferência.

Leite de semente de abóbora: Deixar as sementes de molho por 12 horas. Para cada xícara de sementes use 4 xícaras de água, bata no liquidificador e coe.

Leite de arroz: o leite de arroz é um dos leites vegetais com textura mais fina. Não é preciso deixar o arroz de molho, mas é preciso cozinhar. Para o preparo utilize 1 litro de água para cada xícara de arroz, que pode ser branco ou integral. Cozinhe por 15 minutos, bata no liquidificador e coe, pode ser aquecido e usado  como creme de leite no strogonoff e também fazer leite condensado . O resíduo pode ser utilizado em pratos salgados como sopas, caldos e tortas.

Leite de castanhas do Pará: o leite de castanhas do Pará é um ótimo substituto para o leite de vaca em pratos salgados. Pode ser usado no molho branco e pode substituir o creme de leite. Para fazê-lo utilize 500ml de água para cada 8 castanhas, bata as castanhas no liquidificador, adicione a água e coe.

Leite de castanha de caju: para fazer esse leite utilize 1 litro de água para cada 100g de castanha de caju. Deixe de molho por ao menos 8 horas, bata no liquidificador as castanhas com 300ml de água durante 1 minuto, adicione as demais 700ml de água e bata bem. Coe em um pano bem fino para que não passe nenhum resíduo. Se desejar adicione essência de baunilha.

Leite de nozes: as propriedades medicinais das nozes são muitas, coomo a redução do risco de diabetes e o aumento nos níveis de serotonina, responsáveis pelo bom humor. Para fazer o leite de nozes basta bater 2 copos de água para cada copo de nozes e coar até obter a textura desejada.

Leite de semente de girassol e inhame: Energético e ótima fonte de vitamina E. Para prepará-lo deixe as sementes de girassol de molho durante 12 horas. Depois, bata as sementes de girassol com água e um inhame pequeno descascado e picado. O leite pode ser guardado por apenas um dia, na geladeira.

Leite de quinoa: Utilize 2 xícaras de água para 4 colheres de quinoa. Coloque tudo dentro do liquidificador e deixe de molho durante 15 minutos. Depois bata durante 1 minuto e está pronto. Não é necessário coar.
[/av_textblock]

[av_section color=’main_color’ custom_bg=” src=” position=’top left’ repeat=’no-repeat’ attach=’scroll’ padding=’large’ shadow=’no-shadow’ av_uid=’av-700l7y’ av_element_hidden_in_editor=’0′]

[av_two_fifth first av_uid=’av-oxmly’]

[av_hr class=’invisible’ height=’70’ shadow=’no-shadow’ position=’left’ custom_border=’av-border-thin’ custom_width=’50px’ custom_border_color=” custom_margin_top=’30px’ custom_margin_bottom=’30px’ icon_select=’yes’ custom_icon_color=” icon=’ue808′ font=’entypo-fontello’ av_uid=’av-67d1f2′ admin_preview_bg=”]

[av_image src=’https://usercontent.one/wp/amarimefalou.com.br/wp-content/uploads/2018/07/mariana4-300×286.png’ attachment=’3630′ attachment_size=’medium’ align=’center’ styling=” hover=” link=” target=” caption=” font_size=” appearance=” overlay_opacity=’0.4′ overlay_color=’#000000′ overlay_text_color=’#ffffff’ copyright=” animation=’no-animation’ av_uid=’av-jjhxz8ca’ admin_preview_bg=”][/av_image]

[/av_two_fifth][av_three_fifth av_uid=’av-6j0pfy’]

[av_textblock size=” font_color=” color=” av-medium-font-size=” av-small-font-size=” av-mini-font-size=” av_uid=’av-6fwly6′ admin_preview_bg=”]

Sobre mim

[/av_textblock]

[av_hr class=’invisible’ height=’70’ shadow=’no-shadow’ position=’left’ custom_border=’av-border-thin’ custom_width=’50px’ custom_border_color=” custom_margin_top=’30px’ custom_margin_bottom=’30px’ icon_select=’yes’ custom_icon_color=” icon=’ue808′ font=’entypo-fontello’ av_uid=’av-67d1f2′ admin_preview_bg=”]

[av_textblock size=” font_color=” color=” av-medium-font-size=” av-small-font-size=” av-mini-font-size=” av_uid=’av-63xhvy’ admin_preview_bg=”]
Nascida em São Paulo, no ano de 1982, enquanto o sol estava em Aries. Sonhava em ser professora, escritora e acadêmica. Sempre amou mato, praia e animais.
Com ascendente em Touro, sempre teve muito apetite, comia tudo que via pela frente. Em 2000 concluiu o magistério, 2001 começou a lecionar.

Em meados de 2003 teve o primeiro contato com o universo vegetariano, quando sua irmã começou a transição para essa dieta. Interessou-se, experimentou, aprendeu algumas receitas, mas continuou sua vida entre receitas vegetarianas e carnistas, mas sempre recebendo bem as informações sobre alimentação, benefícios, saúde e exploração animal.

Em 2010 concluiu a graduação em Pedagogia e em 2012 a pós em Psicomotricidade. Em outubro de 2015 esse banco de informação foi se transformando em consciência, gradativamente foi retirando o consumo de carne no dia a dia, e em maio 2016 tomou a decisão de não se alimentar de morte. E em 2018 resolver dividir sua experiências através desse blog.
[/av_textblock]

[/av_three_fifth][/av_section]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.